quinta-feira, 19 de março de 2015

Botão 26



.
.
.



Tem destes valores,
A vida e nossos amores,
Tem a vida, janelas de excepção,
Há excepcionais remédios para as dores,
Há o destino guardado no destino do coração,
Por vezes, os corações desconhecidos são o que são,
Podem ser irreveláveis sonhos interiores,
Ou desejos de externos rumores,
Revelados numa sensação,
De ser…
E eu, sem o saber,
Sem da tua imprudência suspeitar,
Vi o teu sorriso deslumbrado aparecer,
Apareceste como quem quisesse amar,
E eu, que mal sabia como te beijar,
Dos teus lábios o fiquei a saber,
Que ainda antes de acontecer,
Já o beijo se mistura no ar,
   Dado antes de nascer!...

Talvez o destino faça o botão despregar,
Apartar-se das velhas linhas que do botão vasa,
Talvez o destino de eu ser botão, fosse abotoar,
Ser coração que uma agulha fosse trespassar,
  Antes de por ti amado, ser botão sem casa,
       Que a casa encontrou e contigo foi casar!...

.
.
.


2 comentários:

  1. E finalmente o botão encontra a sua casa e a casa encontra o seu botão. E há 26. Venha o 27 para ser ímpar. .. com amor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar